História do Carnaval de Estarreja

image

As primeiras referências às origens do Carnaval de Estarreja datam do final do Século XIX.
Dessa altura chegaram-nos notícias das célebres "Batalha das Flores", alegres cortejos da época carnavalesca com carros alegóricos ricamente decorados e engalanados que, sob o patrocínio de algumas firmas e famílias locais, desfilavam pelas ruas de Estarreja, em plenas manifestação de alegria. Estes festejos, que se prolongaram um pouco além do primeiro quartel do século vinte, tiveram o seu termo aquando da morte de alguns dos seus principais promotores. No entanto, estava lançado o fermento do Carnaval de Estarreja.

A alegria carnavalesca estarrejense, moribunda durante alguns anos, mas fervilhante de vontade, não mais se pode conter e, nos idos de sessenta, começaram a aparecer grupos espontâneos que iam proporcionando divertimento e animação junto de algumas centenas de pessoas que, no Domingo e Terça-feira de Carnaval, acorriam à Praça Francisco Barbosa.

O Carnaval de Estarreja começava, então, a tomar algumas proporções. Em 1973 – um ano marcante na viragem da filosofia do Carnaval – os esforços organizativos começaram-se a fazer sentir verdadeiramente. Neste aspecto merece realce o empenho dos Bombeiros Voluntários de Estarreja que, patrocinando uma comissão organizadora, conseguiram melhorar a quantidade e a qualidade dos participantes, tendo-se assistido nesse mesmo ano a um belo desfile, com os carros alegóricos a darem um brilho especial.
imageA instabilidade política que se viveu no país, principalmente em 1975, atirou o Carnaval para o esquecimento, apenas quebrado por alguns grupos de foliões que teimavam em não deixar morrer a festa.

Nos anos seguintes voltaram a organizar-se desfiles, com carros alegóricos de boa qualidade, grupos apeados, bandas de música e muitos mascarados. Sentiu-se, por isso, que havia a necessidade de melhorar os aspectos organizativos do Carnaval e, em 1978, a comissão organizadora encetou contactos com a Câmara Municipal com vista a obter os necessários apoios logísticos. Foi possível, nesse ano, proceder-se à vedação da Praça Francisco Barbosa, com o desfile a realizar-se pela primeira vez em circuito fechado. Como curiosidade refira-se que o preço do bilhete, nesse ano de 1978, foi de 20$00 por cada pessoa adulta.

Com o apoio da Câmara, o corso começou a tomar outras dimensões. A cobrança de entradas permitiu arrecadar receitas e subsidiar os grupos que, por sua vez, souberam aplicar as verbas recebidas num aumento significativo da qualidade. Em 1983, o aparecimento dos Pimpões, marca um novo estilo nos grupos apeados: muito mais imaginação, muito maior qualidade e exagero nos temas e fantasias que, acima de tudo, entusiasmavam intensamente a assistência. Estava dado o mote para o aparecimento de outros grupos do mesmo género.

image

Em 1985 surge, pela primeira vez, o Carnaval Infantil, desfile realizado com as crianças das escolas primárias do Concelho, com o objectivo de incrementar o gosto pelo Carnaval.

Em 1986 surgiu o primeiro grupo de samba – Os Carecas – e o Carnaval encetou uma viragem. Voltou-se mais para uma certa tendência brasileira, mas dinamizou-se como nunca tinha acontecido até então.

Foram surgindo novos grupos apeados e escolas de samba. Em 23 de Novembro de 1988 foi formalmente criada a Associação do Carnaval de Estarreja, com a finalidade de promover e organizar os festejos carnavalescos na vila.

A década de 90 foi de afirmação do Carnaval de Estarreja. Sempre a subir de qualidade e de participantes, com um gradual crescimento do número de visitantes. Em 1990 houve, pela primeira vez, votação e classificação dos grupos.

No ano 2000, são reformulados os estatutos, criado o primeiro regulamento interno e é registada a marca "Carnaval de Estarreja". Em 2001, o Carnaval de Estarreja é transmitido em direto pelo canal televisivo TVI, pela primeira vez, e o desfile de Domingo é abrilhantado pelo Zé Maria, vencedor da primeira edição em Portugal do popular concurso televisivo Big Brother.

O Carnaval de Estarreja é um dos maiores e mais antigos cortejos carnavalescos de Portugal. Atualmente, é composto por 12 Grupos (5 escolas de samba e 7 grupos de folia), envolvendo mais de mil figurantes, que ano após ano apresentam mais qualidade, imaginação e brilho, contagiando de alegria milhares de pessoas que vêm assistir a um dos maiores e mais antigos cortejos carnavalescos do país.

Realizado no domingo anterior ao domingo gordo, o corso infantil é o primeiro grande desfile dos festejos, reunindo mais de mil participantes. Os mais pequenos foliões tomam conta do centro da cidade para brincar ao entrudo, assegurando o futuro do carnaval estarrejense.

carnaval@acestarreja.pt